Polícia Civil apreende parte de fios furtados em empresas que oferecem internet em Guararema e Suzano

Fios apreendidos em empresa de Guararema foram furtados de outra empresa de telefonia. — Foto: Reprodução/TV Diário

O dono de uma das empresas foi levado para a delegacia.

A Polícia Civil de Mogi das Cruzes cumpriu vários mandados de busca e apreensão em endereços relacionados a duas empresas de internet no Alto Tietê nesta segunda-feira (11). Elas são alvos de uma investigação sobre furto e receptação de fibra óptica.

Uma empresa de telecomunicação de Guararema tinha no depósito cabos exclusivos de três operadoras de internet. Técnicos do setor de telefonia acompanham a polícia na operação.

Para eles, no local tinha, pelo menos, 10 quilômetros de fibra óptica. Tudo foi apreendido e, segundo a polícia, o dono não soube explicar a procedência.

“Eu acho que foi algum descarte que veio parar até a gente, mas não foi coisa que a gente pegou. Eu não sei, eu vou ver”, disse o dono da empresa IDC Telecon, Humberto Armando Sobrinho, que foi levado à delegacia para se explicar à polícia.

Mais cedo e debaixo de chuva, a polícia cumpriu outro mandado de busca, na empresa V Conect que também trabalha com banda larga, mas esta em Suzano. Parte da fiação que sai das caixas dela já tinha queixa de um furto que a telefônica sofreu em Mauá em agosto do ano passado e foi recolhida.

Técnicos da Telefônica Vivo e a polícia concluíram que uma extensão de pelo menos mil metros de fios do mesmo lote furtado da central de distribuição em Mauá estavam na rede aérea do bairro. Estes fios são os mesmos que chegam até a casa dos clientes que contrataram o serviço.

A numeração do lote furtado aparece ao longo de todo material, mas alguns conectores, de plástico, chegaram a ter o nome da Vivo apagado.

O delegado titular da Dise Garra de Mogi, Eduardo Boigues, disse que, pelo que consta, as empresas nem mesmo recolhem impostos. “Então é feito de maneira escancarada e nós temos que apurar a sonegação fiscal e também a receptação dos fios que foram furtados”, explicou o delegado.

O endereço da segunda empresa que a policia obteve também fica em Guararema. Era mais um alvo dos mandados de busca, mas no local não funciona mais nenhuma empresa.

Há meses a Polícia Civil de Mogi das Cruzes investiga uma série de roubos a equipamentos de centrais telefônicas, como um que aconteceu em julho de 2018 na cidade.

Em dezembro, a mesma investigação apreendeu 60 transmissores e roteadores na casa de um homem em Santo André, preso por receptação. A polícia quer saber qual a relação entre as quadrilhas que cometem estes furtos e empresas que fornecem internet.

“Quem furta o equipamento é para fazer o uso depois de transmissão e fornecimento de serviços relacionados à internet banda larga. E para fazer este serviço se usa cabo, então nós começamos nos equipamentos e agora estamos nos cabos. É isso que estamos fazendo aqui”, disse o delegado.

O Diário TV tentou contato com a empresa V Conect, no endereço e telefone informados pela polícia, mas não conseguiu contato.



 

Publicidade

Curtiu nosso trabalho?

Clique nos botões e siga a gente nas redes sociais.