20
Ter, Ago

Câmara oficializa nesta sexta posse de Tajiri no cargo de prefeito de Biritiba Mirim

Por unanimidade, o requerimento e os pareceres favoráveis das comissões foram aprovados na Câmara (Foto: Reprodução/TV Diário)

Texto
  • Minusculo Pequeno Médio Grande Gigante
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

Sessão será realizada nesta sexta (31), às 15h. Tajiri assume o cargo no lugar do prefeito Jarbas Ezequiel de Aguiar, que foi afastado nesta quinta (30) após votação no Legislativo.

Será realizada nesta sexta (31), às 15h, em Biritiba Mirim, uma sessão extraordinária na Câmara, para oficializar a posse do vice- prefeito Walter Hideki Tajiri. Ele assume o cargo no lugar do prefeito Jarbas Ezequiel de Aguiar, que foi afastado após votação na Câmara nesta quinta (30).

Além dele, três vereadores foram afastados do cargo e são investigados por causa do vídeo em que aparecem recebendo dinheiro do prefeito. Aguiar ainda será notificado do afastamento.

A Comissão Processante tem até seis meses para decidir se vota ou não a cassação do prefeito. Já no caso dos vereadores, o prazo para a mesma decisão é de 30 dias, podendo ser estendido por mais 30.

Um morador solicitou a instauração de uma comissão processante pra investigar o prefeito e a suspensão liminar de suas funções, com base no decreto-lei n° 201, de 1967, e também na Lei Orgânica do Município e no Regimento Interno da Câmara. Por unanimidade, o requerimento e os pareceres favoráveis das comissões foram aprovados.

Esse foi mais um capítulo de uma história que começou na semana passada, depois que o vídeo ganhou repercussão nacional. Nele, os vereadores afastados Eduardo de Melo, do DEM, José Rodrigues Lares, conhecido como Zé do Brejo, do PV, e Paulo Rogério dos Santos, o Paulinho da Júlio, do PTB, aparecem recebendo maços de dinheiro das mãos do prefeito.

O vídeo, segundo o Ministério Público (MP), faz parte de uma investigação que começou em novembro de 2017 e apura o aumento no valor dos contratos na área da saúde. Ainda de acordo com o MP, o valor desses contratos durante a gestão anterior era de R$ 5 milhões e no governo do prefeito Jarbas o valor desses mesmos contratos saltou para R$ 10,7 milhões.

No entanto, em abril deste ano, uma Comissão Especial de Inquérito na Câmara arquivou o caso, com a ajuda dos vereadores que aparecem no vídeo recebendo o dinheiro.

Antes disso, o mandato do prefeito já havia sido investigado na Câmara. A primeira vez foi em novembro, quando uma Comissão Especial foi aberta para apurar a conduta do prefeito devido a investigação do Ministério Público em relação à nomeação de pessoas para o alto escalão do governo que são ligadas a uma organização criminosa que age dentro e fora dos presídios. Mas o assunto acabou arquivado.

Por unanimidade, o requerimento e os pareceres favoráveis das comissões foram aprovados na Câmara (Foto: Reprodução/TV Diário)
Alto Tietê Online